Moto Explorer

July 10, 2011 - Guardrails assassinos

July 10, 2011 -  ?> | No comments | Segurança

A ilustração deste artigo veio de onde existe uma campanha contra os guardrails (defensas metálicas) assassinos a Itália.

A primeira vista você pode pensar que os motociclistas são as únicas vítimas deste aparato, mas não é bem assim, basta se lembrar do acidente (?) do Robert Kubica. Se para os motociclistas é mortal, para os outros usuários de rodovias a coisa não é diferente.

 

O que se tem feito a este espeito no Brasil? Nada é a melhor resposta! Os guardrails aqui fabricados e instalados são feitos obedecendo à norma brasileira ABNT NBR6970/6971, o que, para os responsáveis pela segurança em rodovias, está ótimo, pois atende a uma norma brasileira.

No caso do Kubica, a extremidade do guardrail penetrou no carro, pois não estava enterrado no solo ou escondido da via. Se você procurar por acidentes com estas defensas vai perceber do que estou falando. Abaixo, um exemplo.

 

Para as motos é pior, pois o motociclista cai e vai escorregando, até atingir o poste, que suporta, a defensa. Geralmente um viga de aço na vertical. E o corpo do motociclista se choca com este obstáculo, normalmente despedaçando-o.

A solução para este problema, que salvaria vidas, é construir uma barreira completa, não deixando espaço sob a trave horizontal, como se pode ver na foto abaixo (Fonte: Guardrail salva motociclistas).

Ou instalar este modelo, inteiriço.

 

 

Só que aí é que vem o problema: ninguém quer fazer isto! As concessionárias de rodovias, o DNIT, ninguém se interessa porque isto tem um custo. Monetário. As vidas perdidas não interessam, aliás, no nosso país a vida é um bem cada vez mais depreciado.

Por aqui também temos uma campanha contra estes guardrails assassinos: basta colocar sua assinatura no abaixo-assinado , patrocinado pelo http://www.suzukionline.org e divulgado em quase todos os fóruns de motociclismo nacional.

Deixe lá sua assinatura, talvez possamos mudar um pouco este panorama.

[slide]

Se quiser ler mais a respeito deste assunto:

Share

Deixe o seu comentário

Sem comentários para este artigo.

Deixe um comentário

*