Moto Explorer

October 6, 2012 - Viagem de motocicleta ao Uruguai – dia 03

October 6, 2012 -  ?> | 3 comments | Viagem

Viagem motocicleta Uruguai e suas belas estradasMal esperamos o sol apontar para levantar e deixar o motel. Tralhas presas à moto, nem perguntamos pelo café da manhã! Pegamos a estrada e paramos nos dois primeiros postos de gasolina, mas as lanchonetes não estavam abertas, ainda. Seguimos, então em direção a Punta del Este. De onde estávamos seriam apenas uns 90 km. Pelo menos o amanhecer estava bonito e levemente frio. As paisagens uruguaias, com aquela bruma sobre as coxilhas e a estrada deserta ficaram gravadas em nossas mentes. Apesar da noite mal dormida!

Entramos em Punta logo na primeira entrada e seguimos por uma bela rodovia, a ruta 39, pista dupla e igualmente vazia até chegarmos mais perto da cidade. Aí começou sair gente de tudo quanto era rua, com suas scooters, indo para o trabalho em Punta. A entrada da cidade é sensacional, com suas lindas casas, amplos gramados, tudo sem cercas ou muros.

Seguimos o rumo e logo estávamos em frente ao famoso hotel-cassino Conrad, parada de 9 de cada 10 mototuristas. Claro, tiramos algumas fotos ali! E los dedos? Seguimos o GPS e logo estávamos em frente a famosa escultura. Nem precisa falar que estava cheio de turista tirando fotos. A esta altura o sol já estava alto. E nós de calça e jaqueta embaixo dele para tirar pelo menos uma fotinho. Ora, ir a Punta e não tirar uma foto com os dedos equivale a ir ao Rio é não ver o Cristo!

E o  café da manhã? Nada. Resolvemos ir embora e parar em algum posto. Logo vimos uma propaganda de câmbio e aproveitamos para cambiar R$100,00, o que nos deixou ricos: quase mil pesos uruguaios! Em frente do cambista havia um posto da ANCAP e paramos para um café. E que café! Pedi um café pequeno e veio quase um balde de café. As medialunas não empolgaram muito, além de serem pequenas (chicas). Aí vi na parede um cardápio e algo parecido com sanduíche caliente. Pedi este. A atendente pegou um pão quadrado, sem casca, gigante, e começou a rechear com queijo e presunto e depois levou ao forno. Dado o tamanho pensei que para nós dois, mas não era! O pão é gigante, mais ou menos uns 20 cm de lado e depois divididos em 4 partes. A Patrícia pediu outro e comemos muito satisfeitos aquela delícia de misto quente.

Coloquei Piriápolis no GPS e fomos brindados por um passeio costeando o mar. Primeiro por uma rambla e depois pela ruta 1B. E o visual é de tirar o fôlego, com o mar azul lá embaixo, calmo. Avistamos, lá de cima Punta Balena, ponto famoso do litoral uruguaio e ficamos de boca aberta com os casarões nas encostas, tanto na rambla quanto na ruta. Outra coisa que chamou a atenção foi a quantidade de ciclistas e corredores, aproveitando a paisagem e fazendo exercício. Merece uma visita mais demorada.

Logo chegamos a Piriápolis, uma espécie de Punta dos pobres, muito mal comparando! A cidade é bonita, tem um píer e uma orla bem movimentada com hotéis, hostels e restaurantes. Vimos muitas motos brasileiras, mas devido ao cansaço resolvemos que era melhor tocar para Colônia del Sacramento. E o sol já estava inclemente.

GPS com a pousada El Viajero como destino e vamos embora. Logo após sairmos de Punta, pela ruta 1B, cruzamos com um argentino em sua vespa (ou seria lambretta?), feliz da vida acenando para gente e tocando bem devagar pelo acostamento. Pena não termos parado para conhecê-lo. Mais uma parada em um posto, agora para abastecer. E aqui fiz uma das melhores médias da viagem (22 km/l), pois a nossa tocada era de turista! Matei um gatorade para repor o que foi perdido pelo suor e logo estávamos indo em direção a Montevidéu. Já próximo perdi uma entrada, indicada pelo GPS, e acabamos passeando por fora da capital. Demos uma volta passando por trás do aeroporto e pegando um contorno, o que nos levou a conhecer um dos bairros pobres de Montevidéu.

Ali tivemos uma surpresa: encontramos uma gigantesca feira de domingo, a céu aberto, onde é comercializado de tudo. Pode imaginar que lá tem! É um costume do povo uruguaio e algumas são muito famosas.  Passamos batido, tiramos algumas fotos e seguimos, rezando para que o GPS estivesse certo. Cortamos Montevidéu por fora e logo pegaríamos a RN1 que tem uma característica interessante: até Colônia são duas retas gigantescas! Passamos pelo lado do porto atravessando alguns canais e tendo o sol por companhia. Não é a toa que eles têm o sol na bandeira nacional!

Nesta rodovia, duplicada, encontramos pouquíssimos carros e a maioria andando a mais de 120 km/h, pois apesar dos avisos de radar, não vimos nenhum. Paradinha básica em um posto com ar condicionado para mais um gatorade até a jaqueta secar. Muito bons estes postos da ANCAP. Recomendo!

E aí, a famosa entrada de Colonia del Sacramento, com suas palmeiras enfileiradas ao longo da rodovia, que agora é mão única. Chegamos! E como é bom chegar ao destino. Fomos direto a pousada, fizemos o check-in, entramos no quarto e ligamos o ar condicionado no máximo, para refrescar o calor. Se as roupas para motociclistas previnem uma série de problemas referentes a quedas, o calor dentro delas é simplesmente infernal. Tomamos um banho e fomos conhecer parte da cidade, aproveitando que o sol se põe tarde. Fomos até a avenida principal em busca de comida e paramos em uma pizzaria para matar a fome, pois estávamos somente com o café da manhã. E claro, uma Patrícia (a cerveja) de um litro para matar a minha sede.

Na volta passeamos por parte da cidade velha, beirando o rio de la Plata, enquanto o sol se punha. E o visual é de tirar o fôlego. Isto já passava das 21:00 horas e logo a lua aparecia para completar o cenário daquela noite quente. Mas como estávamos mortos de cansados, deixamos para o dia seguinte a exploração da cidade.

Veja como foi o nosso quarto dia da viagem de motocicleta ao Uruguai.

[slide]

Share
Rocha, UY - Colonia Del Sacramento, UY - 08 de janeiro 2012
Rocha Colonia
414 8:32 Sol, 28
48,5 Mapa

Deixe o seu comentário

3 comentários para este artigo.

  1. Moto Explorer :: Viagem Viagem de motocicleta ao Uruguai - dia 02 on 6 October 2012 9:12 am

    […] adoraram o sangue brazuca. Por módicos R$50,00, passamos a pior noite de nossa vidas.Lei com foi o terceiro dia da nossa viagem de motocicleta ao Uruguai.var […]

  2. Chris on 6 October 2012 11:14 pm

    I love the first picture. It’s so uruguay, calm and Sunny. Are not putting in the Vel Max on purpose or is it not working?

  3. Renato on 7 October 2012 9:11 am

    Hi, Chris. Uruguay is a beautiful place I loved to ride those roads. It is working fine. I need to do a search into the gpx files to find the max speed. That website doesn’t show the max speed in the info.

    Saludos desde el Brasil!

Deixe um comentário

*